Como se pode controlar o eczema? 

Estudo: a importância da tecnologia pet-friendly
20 de Dezembro, 2022
A Gong cha e o seu bubble tea acabam de chegar a Portugal
20 de Dezembro, 2022

Como se pode controlar o eczema? 

Segundo alguns estudos, o eczema pode-se desenvolver em 1 a cada 10 pessoas. Saiba algumas dicas para controlar o diagnóstico. 

Segundo a National Eczema Association (NEA), cerca de 31 milhões de pessoas nos Estados Unidos da América têm eczema. 1 em cada 10 pessoas desenvolve eczema durante a vida com prevalência na infância. Apesar disso, a NEA conclui que um em cada quatro seres humanos apresenta sintomas de adulto. 

Em Portugal, estima-se que cerca de 10% das crianças são atingidas pela doença, embora apenas 1 a 2% sofram de queixas graves. Na maior parte das situações a doença tende a melhorar muito e até a desaparecer com a idade, embora possa permanecer por toda a vida. Existem situações em que aparece de novo em idade adulta: nesses casos é menos provável haver alergia, ou então podem tratar-se de dermatite de contacto. 

Um dos fatores de desencadeamento do Eczema? Covid. 

A ciência não tem certeza sobre a ligação entre os dois, quer seja pela via do stress, inflamação ou qualquer outra consequência associada ao vírus. Recentemente, existiu um pico de eczema relacionado com as mãos, devido ao excesso de lavagem e higienização nas mãos. Este aparecimento pode surgir de diferentes formas como aquilo que se desencadeará. Por vezes, o aparecimento do mesmo poderá ser tão doloroso que se sente o desejo de ter comichão até a pele sangrar – os sintomas poderão incluir secura, inflamação, inchaço, entre outros. 

À medida que a ciência avança, o mesmo acontece com a nossa compreensão das condições de pele. Recentemente, os especialistas estão a notar uma ligação entre a barreira cutânea e o eczema. “Uma barreira cutânea debilitada é um fio repetido na patogénese do eczema”, diz Howard-Verovic. Ter uma vida saudável dá à pele a melhor hipótese de superar os seus problemas, acrescenta Daniel Whitby. 

O que posso fazer em caso de diagnóstico? 

Cientificamente, não existe uma cura para a dematite atópica, mas algumas medidas, podem ser benéficas, tais como: evitar o contacto com substâncias que irritem a cútis; para evitar a pele seca, o banho deve ser rápido e com água morta, sendo que convém evitar o uso excessivo de sabonetes e deve-se aplicar um hidratante neutro logo a seguir, antes que a água que está na pele se evapore; os cremes com corticosteroides podem suavizar as lesões e controlar o prurido, sendo que a sua utilização deve ser sempre feita de acordo com as instruções do médico; é útil aplicar vaselina ou óleo vegetal nas áreas afetadas para ajudar a manterem-se macias e lubrificadas; os anti-histamínicos podem, por vezes, controlar o prurido, em parte, porque atuam como sedativo (como estes fármacos podem causar sonolência, é melhor aplicá-los à noite); manter as unhas curtas pode ajudar a reduzir o dano causado pela comichão e diminuir as possibilidades de infeção; em caso de inflamação cutânea pode ser necessário o recurso a antibióticos orais; o tratamento com luz ultravioleta associado a doses orais de psoralene, um fármaco que intensifica os efeitos da luz ultravioleta sobre a pele, pode ajudar os adultos

Para visualizar conteúdos sobre Lifestyle, clique aqui

Lexus LC Cabrio NewWoman Portugal
Lexus LC Cabrio NewWoman Portugal
Lexus-LC-Cabrio_NewWomanPT_Leaderboard
Lexus-LC-Cabrio_NewWomanPT_Leaderboard